Terezinha Ligia por Romildo Mendes

3-  Pessoas como Joba Costa e Terezinha Ligia, tem você como referência do teatro em Montes Claros, qual a sua ligação com essas pessoas ( em relação ao fazer teatral)?

  • 7 de abril de 2014
  • Rel Mendes
    Rel Mendes

    Querida Solange, eis aqui atendido o seu pedido:

    A uma laboriosa artesã de belas cenas teatrais (Terezinha Lígia Fróis...) O primeiro encontro meu com a dama-mãe do Teatro Profissional deMontes Claros, Terezinha Lígia, ocorreu lá pelos idos de fevereiro de 1975, ao se iniciar o “Curso Técnico de Teatro” (2° Grau a época) do “Conservatório Lourenzo Fernández”. Em lá chegando (no amado “Conservatório”, ora, pois!) subi muito ressabiado as escadas daquele templo da música, em Montes Claros, e deparei-me com uma sala de aula transbordando de encantadoras senhorinhas ansiosas, e, de curiosidade, repletas! Contudo, dentre todas aquelas senhorinhas alunas, uma delas, Terezinha Lígia se destacava sobremaneira, o que me dá o azo, agora, de relembrar a inesquecível sensação de admiração que se apoderou de mim, naquele momento ímpar. Deparei com a sala de aula florida e com aquele diamante refulgente de sonhos teatrais muitos e de tantas outras utopias cênicas viáveis, porque escrevia bem, cantava como um rouxinol, e era portadora de um “mis-en-scéne” incrível. À medida que o “Curso de Teatro” ia seguindo seu percurso, ela, o diamante refulgente também ia me falando acerca de seu amor pelo “Teatro” e discorria, com certa frequência, sobre suas pretensões artísticas. No decorrer das aulas, apenas duas por semana, o que muito dificultou a elaboração de um produto teatral consistente, como montagem de peças, esquetes e outras, à medida do possível, sempre tergiversamos acerca de nossas vivências teatrais e de tantas outras coisas afeitas às “artes cênicas”, tais como: conceito elementar de Teatro; noções gerais de expressão corporal e impostação de voz; fragmentos de história do teatro; e, en passant, foram abordados alguns ensinamentos de Constantin Stanislavsk, oriundos de sua obra, “A preparação do ator” (Ex: “a quarta parede” e, também, outras coisas mais, indispensáveis ao dito ofício); entre tantas outras coisas. Entretanto, apesar de tantos senões e de incontáveis dificuldades, a competentíssima e talentosíssima atriz Terezinha Lígia, a quem carinhosamente chamo de “artesã laboriosa de tantas belas cenas teatrais”, prosseguiu seguindo as trilhas da meta a que se propôs atingir, e as atingiu: (veja, assista e deguste seu trabalho artístico em suas montagens teatrais: “Brincando de Brincar” e “Uma Conversa Puxa a Outra” e diga-me se não tenho razão!). Atualmente, pelas estradas da vida e também pelos palcos do mundo, Terezinha Lígia e seu extraordinário “Grupo Fibra” tecem cenas de inenarrável beleza, bordando seus belos sonhos cênicos para o encantamento de todos nós que temos a grata felicidade de contemplá-los em suas divinas performances teatrais. Que você, Terezinha Lígia, e o “Grupo Fibra” continuem a abrir as cancelas do encantamento das gentes, é o que lhes desejo de todo o coração. Abraços tantos.

    Montes Claros (MG), 07-04-2014 Romildo Ernesto de Leitão Mendes (RELMendes) (Um homem de Teatro!)